sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Mulher à vista

Ao passar em frente a um estabelecimento comercial, certa vez, vi a cena:

Uma mulher limpava uma freezer (era uma daquelas freezeres - é assim mesmo que se escreve? - em que a parte da frente é de vidro para que as pessoas possam ver os produtos).

Para realizar a tarefa, a mulher estava com metade do corpo dentro do compartimento, onde costumam ser expostos: queijo, salame, mortadela, manteiga, carne de vaca, de porco. Todos mantidos na temperatura ideal para não causarem uma intoxicação alimentar nos clientes.

Acontece que a impressão de quem passasse o olhar de relance por ali não era a de que aquela funcionária estava limpando a freezer. O que parecia era que a mulher era mais um produto ali sendo refrigerado à espera de seu comprador. Só faltou a plaquinha com o preço e com os dizeres em baixo: “Agradecemos a sua preferência. Volte sempre!”

E, ao que me parece, é assim que acontece hoje: as pessoas (as mulheres, principalmente) são expostas por aí como mercadoria. E aqui não me refiro à prostituição (alguém enxerga a participação da mídia neste comércio?)

E aí então, a mulher não é mais vista como um ser humano que tem sonhos, sentimentos, humor, inteligência... Agora não passa de um par de seios, duas pernas, duas bandas de nádegas, etc, etc, etc.

Assim como há quem prefira o mocotó do boi, existem os excêntricos que dão tudo por pés femininos. Mas, em todo o caso, a mulher não é mais UMA e ÚNICA, é uma porção de pedaços de lábios carnudos, pescoço liso, nariz arrebitado, barriga malhada, panturrilha durinha, e outras partes mais ou menos nobres.

O que há a se fazer? Na vida, tudo tem seu preço (e todos, talvez)...

Portanto, façam as suas apostas!

Olhem atentamente as prateleiras! Passem no caixa! Voltem sempre!

E viva o Capitalismo!!!

5 comentários:

jaya disse...

Eu diria que depende do PONTO DE VISTA.

Anônimo disse...

Né?
que coisa!

É a bruna, doente e sem coragem de comentar algo decente, mas é só pra dizer que eu li... e que eu gosto dos textos do Pimentinha.

pimentel disse...

Jaya, é exatamente isto: depende do ponto de vista!

Alías, dizem que "todo ponto de vista é a vista de um ponto"!

Cada um vê o que quer. Tem gente que finge que não vê... E às vezes falta luz, mesmo!

Eu prefiro ver o mundo por estes olhos de jornalesma-poeta!!

Anônimo disse...

eu sou baratinha.
milzão, tô topando.
fico num freeezer até, mas só se for cheio de cerveja.


(eita comentáriozinho machista esse meu. huahuauhaua)

pimentel disse...

Ah!
E dependendo do ponto de vista vc pode ver CARAS OU BUNDAS!!!