sábado, 20 de outubro de 2007

Idioma Parentês.

Porque sim, roraimense tem sotaque.
Se não é sotaque, é uma espécie de dialeto que só quem mora, ou já viveu aqui, sabe como é.

Afinal, vai dizer que você nunca usou a expressão “marrapaz’?

Marrapaz é uma variação de “Mas, rapaz” que acabou se adaptando como uma espécie de confirmação. Exemplo: se lhe perguntam se você vai à festa do José; e você, de fato, vai à festa do José, você responde “Marrapaz”.
- E ai bichão, vai na festa do Zé?
- Marrapaz! Tô lá!

“Tô lá” também é característica do idioma caboquês. Você usa como complemento de Marrapaz, ou simplesmente responde:
- Tô lá!

Além disso tem o “maaaaaas”. Não, caro leitor, não é simplesmente “mas”, é “maaaaaas” com todas as letras . Serve pra substituir o “marrapaz”:
- Vai na festa do Zé?
- Maaaaaaaaaas.

Bicho, aqui todo mundo se chama de bicho. Começar uma frase sem bicho aqui em RR, é a mesma coisa de começar uma frase sem “Ôw” lá em Minas. Se não, fica sem começo (não é Bréscia?). É uma espécie de vocativo, que serve para homem, mulher, senhora, senhorita, ancião. Bicho é bicho.

- Bicho, to brocado!
- Então bora lá brocar, bichão.

Usa-se “bichão” com freqüência também. Principalmente quando você quer concordar com alguma coisa.
- Pense numa festa boa!!!
- Então bichãããão.



Brocado? Diz-se daquele sujeito que tem fome. A expressão vem do verbo “brocar” que significa comer. Outra variação é “broca”, que significa comida.
- Bicho, a broca vai demorar a sair?
- Maaaaaas, se vai.

Por acaso você acha que o Ronaldinho Gaúcho tem o dente “maceta”?
Bicho, eu acho. O dente do Ronaldinho é maceta.
Maceta
é algo grande, mas muito grande.
Sabe aquele último post do pcapuleto em meados de 1956 (cof-cof) aqui Jornalesmas? Sim! Ele era “maceta”.

Você já levou um tubão? Cuidado, que aqui em Roraima levar um tubão dói pra caramba! Tubão é quando você quer dar um murro na cara do FDP que está lhe pertubando. Ai você ameaça o coitado assim:
- VOU TE DÁ-LHE UM TUBÃO.
Mas tem que ser desse jeitinho, se não, não é caboquês.

Porém nada, eu digo NADA mesmo, é mais característico do que o TELESÉ?
Não há regras para o uso. Do nada, pergunte assim:
- Telesé?
Use e abuse do “telesé?” Não há restrições. Porque ele sim é a marca do nosso regionalismo e das nossas misturas. Não há quem viveu por aqui, ou conheceu algum roraimense e não tenha escutado esta expressão.

Eu tenho orgulho de ser roraimense, telesé??

E tu bichão, tem alguma gíria chibata pra compartilhar?

13 comentários:

jéssica. disse...

" - Bicho, to brocado!
- Então bora lá brocar, bichão. "

bichão AHAUAHAAUAHAUAHAUAHAAU nem te digo no q pensei ¬¬ eu confesso q não uso bicho e já achei essa expressão até estranha, mas falam tanto q já " acostumei " apesar de não achar a coisa mais bonita do mundo AHAUAHAUAHAUAAHAU mas o telesé superou td .. ser macuxi não é pra qualquer um :D

jéssica. disse...

" - VOU TE DÁ-LHE UM TUBÃO. "

e isso foi MUITO a cara da germana ¬¬
tenho medo dela :~~

Anônimo disse...

UHAAUHAUHAUAHAHAUAHAUHAUA
ADOREI.COM.BR!
ei bixo, esse post tá muito foda, ó!

saudade da macuxiland.
=*

pimentel disse...

Bacana!
Não, bacana não faz parte do idioma parentês! Eu acho!
Bacana foi este post!
Está concorrendo para o prêmio de melhor post jornalemas de todos os tempos.

Eu uso quase todas estas expressões quase sempre e quase que ao mesmo tempo...
também digo: Nada (que é sinônimo de marrapaz e de maaaaaas)!

Eu sou macuxi!

Bruna disse...

Meu Deus, esqueci do "diaaaaaaaaaaxo"
:o

Cintia Schulze disse...

Vacaa tu leu meus pensamentos agora, eu acabo de ler o texto e já ia comentar..
"Vacaaaa cadê o diaxooo??" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas adorei o texto..
Nossa cara!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

:*

Karen disse...

Telesé? :D
Muito bom, parente!

Anônimo disse...

Pq não postam nossas girias de Roraima no dicionáro informal?
www.dicionarioinformal.com.br

Oxto disse...

Ei bichão!
É chibatinha esse post ó!
Telesé, muito bão.

Gabriela Biasi disse...

haushaushaushauhs
Parece até outra língua...

Beijos

Cora disse...

e até o "diacho" já virou só "diããã!" ou "dion" como diz o Floco.
Mas na verdade é só preguiça de dizer diacho.

MeL° disse...

PQP!!!!
Que saudade de ouvir essas gírias... Por aqui só se ouve "guria", "mas bah!", "tá louco", "tri"... Mas, apesar de ouvir muuuito essas gírias gaúchas que saem praticamente cantaroladas, sou roraimense desde que nasci e vou morrer assim :D
ahuahauha

O post tá ótimo, realmente! Parabéns!

Beijos da gauxí, mais nova leitora do Jornalesmas (indicado por Elânia Cristina e muito bem-vindo à minha lista de links, se me for permitido :D)

Anônimo disse...

Aque em fortaleza-ce

Picarda é uma pessoa que é mau paia, que só faz coisas indigestas que nao nos agrada ou te ingnora ou te nega algo, ai voce diz: ta certo bicho picarda.